Cores na Iluminação

OLAR!

As cores na Iluminação 
Vocês lembram o nosso último post sobre iluminação. Falamos dos efeitos e tipos, mas hoje vamos te explicar a importância das cores dentro e um projeto luminotécnico.
Sempre definimos o tipo de iluminação para cada ambiente de acordo com sua funcionalidade, o mesmo acontece com as cores. Basicamente, podemos dividir as cores em Branco frio, Branco neutro, Branco quente e RGB.



Mas que negócio é esse de quente e frio? Bom, isso tem a ver com a tonalidade das cores, não tem relação direta com o calor que a lâmpada faz (se esquenta ou não). A temperatura é medida em Kelvin (K), e quanto maior for, mais azulada fica. Agora se for uma temperatura mais baixa, mais amarelada é a cor. Dá uma olhadinha nessa imagem para você entender melhor.



Luz Branca FriaÉ aquela luz branquinha, chegando até ser azulada (sua temperatura varia entre 6000k e 6500k). Utilizamos em ambientes de trabalho, aqueles que necessitam de energia e atenção para produção. Por exemplo escritórios, cozinhas industriais, drogarias, hospitais e consultórios. Mas gente, como assim? Ela esfria mesmo? Não, ela só não traz aconchego ao local, e nos dá sensação de frieza e alerta.

Luz Branca Quente

Já a luz branca quente é aquela luz mais amarelada (sua temperatura varia entre 3000k e 3500k). Ela nos dá sensação de conforto e aconchego, ideal pra dar aquela relaxada depois de um dia cansativo. Indicamos para lugares de descanso e intimistas, como salas, quartos, restaurantes e bares. E ela esquenta? Não necessariamente, depende do tipo de lâmpada, mas caso seja LED, não.

Luz Branca NeutraEssa é o meio termo entre a quente e a fria (sua temperatura varia entre 4000 a 4500k). Não é nem amarelada e nem branca. Essa tonalidade é indicada para ambientes que precisam de uma iluminação geral básica e também para ambientes que necessitem de boa reprodução de cor. Exemplos: salões de beleza, lojas, cozinhas, banheiros etc. 

RGB

É a sigla de Red, Green and Blue (Vermelho, verde e azul, o Fisk tá em dias, viu? kikikiki). Com o LED, conseguimos várias tonalidades de cores, violeta, magenta, ciano, azul, verde, vermelho, amarelo etc. Essa é a queridinha dos ambientes comerciais, geralmente utilizada apenas como efeitos, mas também servem para gerar sensações. Por exemplo, em spas e em banheiros, a cor azul é bastante usada pois gera relaxamento e tranquilidade. Já em boates, o vermelho é bem utilizado pois é estimulante. As luzes coloridas também são utilizadas para cromoterapia, que é a ciência que estuda as cores com o objetivo de curar doenças e harmonizar o corpo e a mente. 

A nossa última dica de hoje é sobre a reprodução de cor. Sabe quando você vai numa loja e não consegue entender que cor exatamente é a roupa? Pois é, as cores das lâmpadas interferem diretamente nos objetos e no ambiente como um todo. Então se você está precisando de uma lâmpada que te mostre as cores reais dos objetos, você deve estar atento a IRC (Índice de reprodução de cor). Quanto mais próximo de 100, melhor será a fidelidade da cor aos seus olhos. Esse valor está geralmente descrito nas embalagens, então fica fácil de você mesmo analisar.

É importante lembrar que todas essas dicas são as que consideramos ideais, de acordo com nossas experiências e estudos. Mas cada um sabe a sua necessidade e particularidade. Agora que você já sabe um pouco sobre as cores na iluminação, pode conversar com o arquiteto e escolher qual se encaixa melhor no seu espaço e seus gostos.

Beijos de Luz!

Por Lorena e Renan

Postado por


 
ALINE FEITOSA

 
LAIANA PINHEIRO

 
LORENA PEDROSA

 
MANUELLA LEÃO

 
MILENA MOTA

 
RAFAEL SÁ

 
RAFAELA SANTOS

 
RENAN NASCIMENTO