Iluminações especiais

OLAR!

Hoje vamos falar sobre iluminação. Mas de noooovo? Sim, porque esse universo é enorme e a gente ainda tem um monte de assunto e dicas marotas para vocês! Por exemplo, pergunta de prova: se você for iluminar um camarim, sabe qual lâmpada usar? E um closet? Rá! Viu só? Existem alguns locais que precisam de iluminações específicas, adequadas ao seu uso.
Mas antes existem algumas coisinhas que vocês precisam entender para as dicas fazerem sentido.
1.    IRC, ou Índice de Reprodução de Cor. A iluminação mais perfeita que existe é a do sol, e esse índice serve para medir o quanto a lâmpada se aproxima da solar. Se você vestir uma blusa preta em casa e chegar na rua ela ficar azul marinho, você já sabe que aquele IRC é baixo.
2.    Luz quente e luz fria (famosa temperatura de cor): não é necessariamente a que esquenta e sim a que desperta sensações em nós. A luz quente é amarelada, traz sensação de aconchego e descanso, a luz fria desperta, nos deixa mais ligados.
3.    Potência: sabe aquele 23W, 9W, que vem na caixa e muita gente pensa que indica a quantidade de luz? Na verdade, ele significa o quanto a lâmpada consome da sua conta de energia. Um LED de 9W pode iluminar um espaço maior que uma dicroica de 50W, por exemplo. E consumindo bem menos!
4.    Amamos os LEDs! Eles são econômicos, não geram calor, possuem versões de iluminação geral e pontual. Mas nem tudo é perfeito, né? Como é uma tecnologia relativamente nova, ainda precisamos separar o joio do trigo. Alguns fabricantes não possuem um padrão de qualidade tão alto (em compensação os preços são atrativos!) e a iluminação fica destoando, com tonalidades e efeitos um pouco diferentes umas das outras. Portanto, optar por fabricantes conhecidos e de qualidade é fundamental pra um resultado legal!
Agora que vocês estão experts, vamos descobrir a luz ideal para alguns espaços?

Ahhh, o amado closet!

Como citei acima, ninguém quer colocar uma roupa e chegar na rua estar com outra cor, né? Por isso no closet o IRC é super importante! Como a maioria das lâmpadas que possuem esse índice 100% são pontuais (como as dicróicas), geralmente combinamos com outro tipo de iluminação geral, que podem ser placas de LED ou fluorescente.


Corredor dos quartos, o esquecido

Ele é tão menosprezado, tadinho! Mal a gente sabe que a iluminação dele é super importante. Geralmente a gente joga uma fluorescente lá e acha que tá tudo bem. BUUUUT, se eu contar pra vocês que não? Como é um local de passagem rápida, essa não é a iluminação ideal. Porque as lâmpadas fluorescentes foram feitas para ficar um bom tempo acesas economizando energia, pra isso o pico do consumo delas é justamente no acendimento. Então se eu acendo, chego no final do corredor e desligo em 30 segundos, ela não economizou nadinha. Sorry! Além disso, esse acende/apaga rápidos, diminui muito a vida útil dela.
Nesse caso, o ideal é investir no LED mesmo. Ele não precisa de alto IRC, não vai esquentar o ambiente (que geralmente não tem circulação de ar) e você pode deixar aceso a noite inteira se quiser, porque ele tem o consumo bem baixo!
Você ainda pode optar pela fita de led, deixando uma iluminação mais homogênea, spots destacando quadros e objeto, ou balizadores (eu amo!!).


Camarim/Penteadeira, a cereja do bolo

 

O preferido das manas! E disso a maioria entende bem: a iluminação preciiiisa vir de frente. Se vier de cima, quando a gente baixa um pouco o rosto para aplicar o rímel, olha a sombra lá! O ideal é colocar arandelas no espelho para garantir essa luz frontal e investir numa boa lâmpada, que não esquente (senão nem acabou a maquiagem e já estamos lá de pandinhas), com IRC 100% e luz quente (amarela, garotas! É a ideal para fotografia). 
Uma dica muito importante: não se deixem enganar no elevador. Muita gente reclama que se arruma toda no camarim, tá linda e quando chega no dito cujo, tá horrível. Mas é a iluminação dele que não é adequada, porque enfim, não tem essa finalidade. Ignorem o bichinho e tirem fotos em outro lugar, please!



Mesa de estudos/trabalho, a iluminada!

 

Vamos visualizar a cena: obra pronta, modulado no local, vou sentar para estudar, baixei a cabeça e… fez sombra no meu livro! Isso acontece porque a maioria das pessoas usa iluminação para estudo vindo do teto. O ideal é que ela venha de frente, afim que não faça nenhuma sombra. Pode ser por arandela na parede ou abajur na mesa. O mais importante é que seja uma iluminação bem confortável, de preferência luz fria, para não dar aquela preguicinha de estudar. Nesse caso pode-se usar a lâmpada fluorescente ou LED (sim, como falei eles são nossos queridinhos).


Criado mudo nosso de cada dia

 

Outra cena: hora de dormir, quarto escuro, mas o marido ou esposa está sem sono e quer ler um bom livro para relaxar. Como fazer isso sem atrapalhar o sono alheio? Sinceramente, 100% é impossível, mas podemos amenizar (afinal, ninguém quer brigar por isso!) com uma luz dirigida. Geralmente através de arandelas flexíveis ou abajur de leitura, conseguimos uma iluminação pontual, iluminando apenas o livro.

Então partiu iluminar o mundo?? Miga sua louca, calma jovem! Tá bem, a gente pode começar pelos cantinhos da nossa casa! Eu aceito, eu aceito! Haha
O importante é termos sempre a lâmpada adequada e na posição certa para atender as necessidades do espaço. Seu arquiteto pode te ajudar dizendo se, para o seu projeto, a luminária ideal vem do teto, da parede ou apoiada na mesa. Porque além de não te cansar e ajudar na visibilidade, tem que ficar lindo!

Beijos!

Rafo.

 

 

 

Postado por


 
ALINE FEITOSA

 
LAIANA PINHEIRO

 
LORENA PEDROSA

 
MANUELLA LEÃO

 
MILENA MOTA

 
RAFAEL SÁ

 
RAFAELA SANTOS

 
RENAN NASCIMENTO